Emoção e reconhecimento à experiência profissional marcam a entrega da Medalha Joaquim Amazonas

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A entrega da Medalha do Mérito Joaquim Amazonas, concedida pela OAB Pernambuco a advogados e advogadas que completaram 50 anos de atuação sem nenhuma infração ético-disciplinar, foi marcada pela emoção na tarde desta sexta-feira (17).  Numa demonstração de valorização, reconhecimento e respeito ao histórico individual e à antiguidade e longevidade no exercício da advocacia, cerca de 30 profissionais foram homenageados no evento, que lotou o Auditório Fernando Santa Cruz, na nova sede da OAB-PE, no Recife.

O presidente da Ordem no estado, Ronnie Preuss Duarte, comandou a solenidade ao lado da Diretoria da instituição: o vice-presidente Leonardo Accioly, o secretário geral Fernando Ribeiro Lins, a secretária geral adjunta Ana Luiza Mousinho, a diretora tesoureira Silvia Nogueira e o presidente da Caape, Bruno Baptista. O presidente da ESA-PE, Carlos Neves, foi representado pelo diretor Mário Guimarães. Também na mesa de abertura o conselheiro federal Erik Sial, o ex-presidente da OAB-PE Octávio Lôbo e os desembargadores Adalberto de Oliveira (TJPE) e Ruy Salathiel (TRT6).

A solenidade ainda foi prestigiada pelo ex-presidente da OAB-PE Jayme Asfora, vários conselheiros e integrantes de comissões seccionais, profissionais de advocacia e dezenas de familiares e amigos dos homenageados e homenageadas. Depois do pronunciamento de Octávio Lôbo, que chegou a ser professor de muitos dos contemplados com a honraria, a cerimônia seguiu com a fala de Dalva Rodrigues representando os agraciados e agraciadas com a medalha – entre eles, Maria Joaquina Amazonas Pontual, neta do primeiro presidente da OAB-PE e que dá nome à honraria. O Coral Ariano Suassuna, formado por advogadas e advogadas inscritos na entidade, participou com repertório de hinos e clássicos do cancioneiro popular.

Mais – A Medalha do Mérito Joaquim Amazonas foi criada em 1985 durante a gestão do então presidente Fernando de Vasconcelos Coelho. A instituição da comenda foi uma forma de reconhecimento aos advogados e advogadas que contabilizam meio século de atividade profissional ininterrupta na causa da justiça e do direito e sem registros de infrações ético-disciplinares na profissão.

A honraria, concedida anualmente, traz a efígie de Joaquim Ignácio de Almeida Amazonas, um dos fundadores e primeiro e por duas vezes presidente da OAB Pernambuco – de 08 de fevereiro de 1932 a 28 de fevereiro de 1949 e de 31 de março a 08 de junho de 1951. O advogado também foi professor e o primeiro reitor da então Faculdade do Recife, atualmente ligada à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Lista de agraciados e agraciadas

Adolfo Paiva Moury Fernandes

Albany Castro Barros

Arnaldo José de Barros e Silva

Aureliano Raposo Soares Quintas

Carlos José da Costa Lima

Carlos Roberto Pio da Costa

Clélio de Oliveira Gomes

Dalva Rodrigues Bezerra de Almeida

Emanuel Gondim de Vasconcelos

Eurico de Farias Reis

Euripedis Tavares de Melo Filho

Fernando José Pereira de Albuquerque

Gilberto Gueiros Leite

Givanildo Paes Galindo

Jaime Pires de Menezes

João Firmino de Paula Cavalcante Neto

José Gonçalves Pereira Filho

Luiz Guilherme Gaspar Antunes

Manoel Cavalcanti de Albuquerque Sá Netto

Manuel Marcos Chagas Aroucha Filho

Marco Antônio de Albuquerque Meira

Marco Antônio Queiroz de Oliveira

Maria Carmélia Braga de Albuquerque

Maria Izabel de Melo Monteiro

Maria Joaquina Amazonas Pontual

Muryllo José Salgado da Silva

Octávio Dias Alves da Silva Filho

Otávio Bezerra Pedrosa

Reginaldo da Costa Gulde


Crédito da fotografia: Alysson Maria