Em busca de mais e melhores práticas de gestão, OAB-PE cria Comissão de Governança Corporativa

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A primeira resolução da OAB Pernambuco em 2018, assinada pelo presidente Ronnie Preuss Duarte nesta terça-feira (02), trata da criação da Comissão de Governança Corporativa (CGCO) da entidade. O comitê ficará responsável principalmente pelo aprofundamento em temas referentes à prática, como a redução de riscos e a obtenção de melhores resultados por meio da implantação de uma política com diretrizes estabelecidas.

“Muitos reclamam que as gestões da OAB Pernambuco não estão sujeitas a qualquer tipo de fiscalização efetiva, algo que as organizações privadas asseguram mediante a contratação de empresas de auditoria. Nossa ideia é limitar a autonomia absoluta que hoje se verifica, submetendo-nos a um monitoramento feito por especialistas independentes com a respectiva divulgação de relatórios”, antecipou Ronnie Duarte.

Segundo o presidente da Ordem no estado, como resultado direto dos trabalhos, em breve, a CGCO apresentará sugestões para a alteração do Regimento Interno da OAB-PE. “A normatização das boas práticas e a sujeição tanto de gestores como funcionários e funcionárias a um código de conduta será um marco para a instituição. A adoção e a aplicação dos princípios de governança corporativa deverão proporcionar aumento da eficiência nos investimentos, incremento da transparência e asseguração de um tratamento igualitário por parte dos gestores eleitos”, completou.

A Comissão de Governança Corporativa da OAB-PE terá como presidente a advogada Fernanda Suerdieck Dourado. Raphael José Ribeiro Nóbrega Farias será o vice-presidente e Anderson Fernandes Peixoto, o secretário. Os demais integrantes da CGCO são Taciana de Castro Gonçalo da Silva e Roger Bold Queiroz.