Ingrid Zanella participa do I Colégio de Vice-presidentes do CFOAB

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Com informações do CFOAB

Foi realizado nesta terça-feira (23) o I Colégio de Vice-presidentes dos Conselhos Seccionais da OAB, em Brasília, comandado pelo vice-presidente da OAB Nacional, Luiz Viana Queiroz, com o objetivo de discutir o papel deles dentro do sistema OAB. Ingrid Zanella, à frente do cargo neste triênio, esteve presente no evento.

Para Zanella, a realização do encontro é a base na concretização de uma unidade de gestão atuante. “Ouvir, pontuar e analisar as perspectivas de cada vice-presidente, de Norte a Sul do país, é um fator enriquecedor para advocacia. Nos permite vislumbrar soluções que toquem a todos da melhor maneira possível”, comentou a vice-presidente da seccional pernambucana. Ingrid pontuou, ainda, a expressiva participação das mulheres ocupando o cargo. “Das 27 seccionais, 19 têm uma mulher na vice-presidência”.

“Este encontro simboliza, mais do que a discussão sobre a aplicabilidade das políticas de governança, a unidade no sistema OAB. Porque, para mim, o vice-presidente deve ser um escudo: aquele que reflete o presidente, as políticas da OAB e do sistema nacional”, reforçou Luiz Viana Queiroz.

O EVENTO – Como a ocasião marcou a realização da primeira reunião formal dos vice-presidentes de Ordem, o intuito foi construir uma dinâmica de procedimentos a ser adotada e aprimorada ao longo da gestão, com ações propositivas para implementação no âmbito de todas as Vice-Presidências.

O diretor-tesoureiro da OAB Nacional, José Augusto Araújo de Noronha, também participou do evento e falou sobre as novas regras de transparência na gestão financeira da entidade. “Vamos instituir regras de compliance, pedir maior rigor para a criação de novas subseções, entre outras ações que permitam uma melhor gestão para todo o sistema OAB”, explicou Noronha.

Foi franqueada a palavra a todos os vice-presidentes que compõem o Colégio, que externaram suas percepções no exercício da função, as peculiaridades na rotina de cada gestão e as perspectivas para os próximos anos. Outro tema citado com frequência nas falas dos vice-presidentes foi a necessidade de ressignificar a função institucional desempenhada pelo vice, hoje – na visão deles – mal compreendida.

O Colégio de Vice-Presidentes manifestou ainda repúdio ao feminicídio das advogadas Lucimara Stasiak e Angelina Silva Guerreiro Rodrigues, ao tempo em que também reforçou a posição das Seccionais no sentido de envidar todos os esforços para enfrentamento intransigente da violência de gênero, tema que assume caráter de urgência na sociedade brasileira.