Mais de 660 mil advogados foram certificados pelo Exame de Ordem na última década

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Do site da OAB Nacional

O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, e o coordenador acadêmico do Exame de Ordem Unificado, ministro Marco Aurélio Bellizze, participaram de um webinário do portal Jota para debater e apresentar os dados referentes ao relatório “Exame de Ordem em Números”, uma parceria da Ordem com a FGV para marcar os dez anos de aplicação unificada da prova em todo o país. O debate contou ainda com a mediação do jornalista Felipe Recondo.

O relatório apresenta um panorama geral da prova, com dados referentes às edições do exame entre 2010 e 2019, incluindo o desempenho das Instituições de ensino superior do país, além de estatísticas e outras informações relevantes, como o perfil socioeconômico dos participantes.

Ao analisar os resultados, entre 2010 e 2019, contabilizam-se 3.555.972 inscrições, o que representa média de 126.999 inscritos por edição e 380.997 inscritos por ano. Em 28 edições, 1.077.837 participantes fizeram a prova, destes, 660.298 (61,26%) foram aprovados. Dos advogados aptos hoje a exercer a profissão no país, mais de 50% passaram pelo EOU.

“São dez anos de avanços. Antes, as provas eram aplicadas por cada uma das seccionais, o que gerava distorções e graves problemas. O exame virou esse divisor de águas a partir do momento que virou nacional, que foram aprimorados os instrumentos de correção, com a participação de uma banca de excelência, que conta com os melhores nomes do Direito do Brasil. Hoje, metade da advocacia já é certificada pelo exame, um instrumento de fortalecimento da advocacia e da cidadania”, afirmou o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz.

“Felicito a OAB pelo projeto vitorioso. São dez anos de exame, dez anos de dados e dez anos de aprendizado. A prova é muito importante e nós vamos melhorando um degrau a cada novo exame. Esperamos dessa forma uma cidadania mais forte com o fortalecimento da OAB. É motivo de orgulho para a FGV participar. Penso que é um projeto irreversível e temos a evidência de que há uma melhoria daqueles que vão se capacitando. Isso qualifica a cidadania, qualifica o acesso ao judiciário e ajuda a aperfeiçoar o ensino jurídico”, avalia o coordenador acadêmico do exame, ministro Marco Aurélio Bellizze.

O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, enfatizou ainda que os dados e todo o histórico do exame mostram que o objetivo da prova é fortalecer a cidadania, garantir que pessoas com certificação posam atuar para defender a vida, o patrimônio e os direitos dos cidadãos, além de levantar o debate sobre a qualidade do ensino jurídico no Brasil.

“Sabemos que o exame precisa de melhorias, mas temos hoje um enorme avanço, com a realização de uma prova que garante a isonomia. Digo isso aos candidatos, já que o exame coloca em condições de igualdade todos que buscam a certificação. Não existe nada mais bonito na Ordem do que entregar uma nova carteira a um novo colega. Nunca estive numa solenidade em que um parente não tenha chorado de emoção pela conquista desse candidato, esse valor simbólico é a certeza que há ali uma conquista de luta e de perseverança”, disse Santa Cruz.

Confira aqui o relatório Exame de Ordem em Números