Nota de pesar pelo falecimento do advogado criminalista Gilberto Marques

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A OAB-PE apresenta os votos de profundo pesar pelo falecimento, nesta sexta-feira (20), do advogado criminalista Gilberto Marques, importante referência da advocacia no estado. À família e aos amigos de Gilberto, os sentimentos de todos que fazem a direção e o conselho da Ordem.

O presidente da OAB-PE, Bruno Baptista, lamentou a morte do advogado criminalista Gilberto Marques, a quem considera uma das referências da advocacia pernambucana.

“Advogado criminalista militante, corajoso e preparado. Ao mesmo tempo humilde e amigo. Uma referência. Especialmente nessa quadra histórica do país fará muita falta. Parafraseando o próprio Gilberto Marques, em antológico encerramento das alegações finais como assistente de acusação do júri dos assassinos do procurador Pedro Jorge: ‘Gilberto Marques não morreu. Ele se dividiu em milhares de pedaços. De cada pedaço, há de nascer um Gilberto inteiro para continuar sua luta pela Justiça. Justiça sem mártir, sem herói’”, afirmou Bruno Baptista.

Com mais de 30 anos de militância na advocacia, Gilberto Marques foi um destacado criminalista pernambucano. Entre os vários casos em que atuou está a ação penal do assassinato do procurador Pedro Jorge de Melo e Silva, ocorrido em 3 de março de 1982, como assistente de acusação.

O procurador havia investigado e denunciado o chamado Escândalo da Mandioca, até então considerado o maior crime financeiro do estado. O golpe consistia na obtenção de documentos falsos para conseguir créditos agrícolas para o plantio de mandioca utilizando cadastros frios, propriedades fictícias e agricultores fantasmas através da agência do Banco do Brasil em Floresta, no Sertão.