NOTA OFICIAL – Sobre a investida contra um advogado na delegacia de Afogados da Ingazeira

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

NOTA OFICIAL

 

Na manhã de terça-feira (19/11), na Delegacia de Polícia Civil de Afogados da Ingazeira, novamente um advogado, em pleno exercício do múnus advocatício, foi alvo de uma grave investida contra a sua liberdade profissional, de modo, inclusive, a atingir toda a advocacia.

Apenas em razão de o advogado Hiago José Perazzo Alves indagar ao seu cliente, um menor vítima de crime sexual, se, pela natureza do delito, se sentia à vontade para depor na frente de um ex-professor seu que é Comissário de Polícia lotado naquela circunscrição e que estava no local, o Delegado de Polícia se exasperou e, gritando, asseverou que quem mandava na Delegacia era ele, determinando que o causídico se sentasse e calasse a boca, afirmando, ainda, que advogado só serve para encobrir crimes, tumultuar investigação e defender bandido.

Em seguida, após o advogado pedir um tratamento urbano e que suas prerrogativas profissionais fossem respeitadas, o Delegado, mais uma vez aos gritos, afirmou que o Direito só serve nas dependências da Justiça, porque naquela Delegacia quem mandava era a autoridade policial, chegando ao ponto de determinar que o advogado fosse retirado da sala.

Tudo foi presenciado por testemunha e devidamente registrado.

O caso está sendo apurado pela Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas (CDAP) da OAB-PE, que adotará medidas enérgicas, em todas as searas cabíveis, para que mais essa investida contra a advocacia e, por conseguinte, contra a própria cidadania seja exemplarmente reprimida.

 

BRUNO BAPTISTA

Presidente da OAB-PE

 

CARLOS BARROS

Presidente da CDAP