NOTA PÚBLICA – Sobre termos utilizados em sentença pela juíza de Gameleira

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

As Diretorias da Seccional de Pernambuco e da Subseccional de Palmares da Ordem dos Advogados do Brasil lamentam e repudiam as afirmações utilizadas pela juíza de Direito em exercício da comarca de Gameleira (Mata Sul), Tatiana Cristina Bezerra Salgado, ao se referir, de forma depreciativa e generalizada, aos moradores da região em decisão proferida em uma ação penal. A magistrada anotou em trecho de sua decisão: “Registro, por fim, que a Mata Sul pernambucana é constituída de pequenos municípios pobres, totalmente habitados por desgraçados analfabetos sem nenhum tipo de instrução, educação, bons modos ou sequer esperança (…)”. A população da região merece tratamento respeitoso e deve ser assim tratada por todos, especialmente os agentes públicos. A despeito de respeitar o livre convencimento motivado da magistrada, os termos utilizados atingem, direta e indistintamente, os moradores de uma região que contribui e sempre contribuiu, de forma decisiva, para a formação social, econômica e cultural do estado de Pernambuco.