OAB-PE participa da posse do novo presidente do TCE, Marcos Loreto

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

Em sessão concorrida, o  conselheiro Marcos Loreto assumiu nessa quarta-feira (10), pela segunda vez, a presidência do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) em substituição ao conselheiro Carlos Porto. Participaram da solenidade o governador do Estado, Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Júlio e autoridades dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. O presidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss Duarte, integrou a mesa da cerimônia de posse.

Marcos Loreto prometeu fazer do combate à corrupção a prioridade de sua gestão, frisando que faz parte da “imensa legião de brasileiros” que encara a corrupção como “um mal a ser combatido em todos os campos e níveis, dos funcionários fantasmas aos gestores que cometem irregularidades”.
Segundo ele, no cenário conturbado em que o Brasil hoje se encontra, “onde se dizia que só os pobres iam para a cadeia, nomes tidos como blindados estão presos”, tanto dos meios políticos como também empresariais.

“O mundo está pior? Não, o controle é que está melhor”, declarou o conselheiro, frisando ser “imensa” a contribuição que entidades como o Tribunal de Contas podem dar ao Brasil em associação com instituições parceiras como o TCU, Controladoria Geral da União e do Estado, Ministério Público, Receita Federal, Polícia Federal e Polícia Civil, entre várias outras.

O novo presidente assumiu também o compromisso de zelar pelas “garantias democráticas” conquistadas pela sociedade brasileira, “preservando a honra dos nossos jurisdicionados, sem pré-julgamentos ou julgamentos apressados”, proporcionando a todos o “amplo e sagrado direito de defesa”, pois, a seu ver, “a pretexto de se combater a corrupção”, não se pode esquecer o esforço despendido pelos brasileiros para reconquistar a democracia, “legado de valor inestimável”.

A sessão de posse foi aberta pelo conselheiro Carlos Porto que, em discurso sucinto, fez as suas despedidas e desejou boa sorte ao sucessor. A mesa foi composta pelos sete conselheiros do TCE, o procurador do Ministério Público de Contas (MPC) Cristiano Pimentel, o auditor geral Marcos Flávio Tenório de Almeida, o governador Paulo Câmara, o vice-governador Raul Henry, o prefeito Geraldo Júlio, o presidente da OAB-PE, Ronnie Preuss Duarte, o presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Leopoldo Raposo, o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Guilherme Uchoa, o senador Fernando Bezerra Coelho, o presidente do TRF da 5ª Região, Manoel Ehardt, o ministro José Múcio Monteiro Filho (TCU), os desembargadores Agenor Ferreira Lima Filho e Valdir Carvalho representando, respectivamente, o Tribunal Regional Eleitoral (TER-PE) e o Tribunal Regional do Trabalho da 6ª Região (TRT6).

Um dos destaques da sessão foi o cantor sertanejo Josildo Sá, que, trajando um gibão de couro, interpretou o Hino Nacional acompanhado pelo sanfoneiro Beto Hortis. Esse último fez o encerramento executando o Hino de Pernambuco na sanfona.

*Com informações da Assessoria de Comunicação do TCE-PE