OAB-PE promove caravana para debater a Reforma da Previdência

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

A OAB Pernambuco realiza a Caravana da Reforma da Previdência, com uma série de debates em todo o estado para discutir o projeto que tramita no Congresso Nacional. O evento é uma iniciativa da Comissão de Direito e Seguridade Social. Um dos pontos de destaque na programação será no próximo dia 11, na sede OAB-PE, no Recife, quando acontece uma audiência pública sobre o assunto.

A audiência pública será no auditório da seccional, às 14h, onde a OAB convidará representantes da sociedade, poder Judiciário, sindicatos, Procuradoria do INSS e economistas para mostrar os números e fazer um balanço da PEC 006/2019, que trata da reforma. O evento contará com participações do presidente da OAB-PE, Bruno Baptista, Felipe Sampaio, da CDSS, Almir Reis, vice-presidente do IAPE, Tadeu Alencar, deputado federal, Humberto Vieira, assessor jurídico da Fiepe, Suzineide de Medeiros, presidente do sindicato dos bancários de Pernambuco e Luiz Maia, professor de economia da UFRPE.

“Nós queremos fazer uma grande discussão para que cada entidade possa mostrar seus pontos de vista e, ao final, fazermos uma coletânea de sugestões que encaminharemos, num segundo momento, para debate com a bancada dos deputados federais de Pernambuco”, concluiu Felipe Sampaio, presidente da Comissão de Direito e Seguridade Social da OAB-PE, que está à frente da programação.

O objetivo da Comissão com a caravana é levar os debates para as 25 subseccionais do estado. Na agenda já foram realizados debates nos municípios de Ipojuca (Região Metropolitana) e Pesqueira (Agreste). Para abril, já estão marcadas debates em Surubim (Mata Norte), no dia 10; Garanhuns (Agreste), no dia 12; Caruaru (Agreste), no dia 23; Carpina (Mata Norte), no dia 24; Palmares (Mata Sul), 25; e Limoeiro (Mata Norte), 26.

Para Felipe Sampaio, é necessário que haja uma disseminação do debate. “Nossa intenção, enquanto Comissão de Seguridade Social, é não restringir esse debate apenas à capital e Região Metropolitana, mas sim dar oportunidade aos advogados do interior de terem acesso à essa informação e possibilidades de participarem do debate e trazer sugestões”.