OAB Pernambuco conhece programa de policiamento comunitário da Secretaria Estadual de Defesa Social inspirado em modelo japonês

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email

O coronel Reinaldo Mesquita e o major Oliveira Jr, da Polícia Militar de Pernambuco, estiveram nesta terça-feira (09), na Casa da Cidadania, com o presidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss Duarte. Eles foram convidados pela OAB/PE para apresentar o projeto Nossa Presença, sua Segurança, que utiliza o sistema japonês Koban como referência. O membro colaborador da Comissão Especial de Segurança Pública (Cesp) da OAB-PE e cientista social Tales Ferreira também participou do encontro na nova sede da Ordem, no Recife.

“Dentro dos trabalhos da Comissão Especial de Segurança Pública, chegou-se à conclusão que o reforço do modelo de policiamento comunitário é o mais adequado para a realidade social do estado”. Soubemos pela imprensa, da introdução do novo programa na corporação. Na sequência, formulamos um convite aos responsáveis pelo programa para uma apresentação. O modelo é excelente e permite a entrega de um modelo de polícia humanizada e comprometida com a população. Fiquei positivamente impressionado com o que vi. Uma polícia que não atua apenas na repressão, integrada à comunidade e vivenciando com proximidade a realidade do cidadão. É um modelo que deveria ser ampliado, sobretudo pelo resultado já comprovado na redução dos índices de violência”, afirmou Duarte.

De acordo com o major Oliveira Jr, a boa receptividade à iniciativa tem sido recorrente na área da Zona Sul da capital na qual o projeto foi lançado como piloto, em agosto. “O programa descentraliza as ações operacionais com comando territorial local. O perímetro tem policiamento fixo e vigilância contínua diuturnamente, além de fiscalização com motos e a pé e visitas preventivas a residências, órgãos públicos e estabelecimentos como hotéis, restaurantes e padarias. Conhecemos a cultura local e, com a convivência, estabelecemos uma relação de proximidade com a comunidade independentemente de classe social e atividade profissional. Passamos a vivenciar um ambiente de prevenção com representação mais ativa do que a repressão”, detalhou.

O coronel Mesquita destacou a relevância do convite da OAB-PE para conhecer o programa. “O policial está ali para servir, como defensor e garantidor dos direitos do cidadão. Percebemos que a dinâmica do serviço policial na ótica da polícia comunitária está perfeitamente alinhada com o que entendemos que seja o propósito da OAB. Vislumbramos essa interação e temos a satisfação de caminharmos juntos”, completou.OAB Pernambuco conhece novo perfil do programa de policiamento comunitário da Secretaria Estadual de Defesa Social

O coronel Reinaldo Mesquita e o major Oliveira Jr, da Polícia Militar de Pernambuco, estiveram nesta terça-feira (09), na Casa da Cidadania, com o presidente da OAB Pernambuco, Ronnie Preuss Duarte. Eles foram convidados pelo gestor para apresentar o projeto Nossa Presença, sua Segurança, que utiliza o sistema japonês Koban como forma de resgatar a essência da Patrulha do Bairro, um dos programas da Secretaria de Defesa Social (SDS-PE) para o combate à violência no estado. O membro colaborador da Comissão Especial de Segurança Pública (Cesp) da OAB-PE e cientista social Tales Ferreira também participou do encontro na nova sede da Ordem, no Recife.

“Dentro dos trabalhos da Cesp, chegou-se à conclusão que o reforço do modelo de policiamento comunitário é o mais adequado para a realidade social do estado. Pela imprensa, soube da introdução do novo programa na corporação e convidei a Secretaria para conhecê-lo. Ele permite a entrega de um modelo de polícia humanizada e comprometida com a população. Fiquei positivamente impressionado com o que vi”, afirmou Duarte.

De acordo com o major Oliveira Jr, a boa receptividade à iniciativa tem sido recorrente na área da Zona Sul da capital na qual o projeto foi lançado como piloto, em agosto. “O programa descentraliza as ações operacionais com comando territorial local. O perímetro tem policiamento fixo e vigilância contínua diuturnamente, além de fiscalização com motos e a pé e visitas preventivas da Patrulha do Bairro a residências, órgãos públicos e estabelecimentos como hotéis, restaurantes e padarias. Conhecemos a cultura local e, com a convivência, estabelecemos uma relação de proximidade com a comunidade independentemente de classe social e atividade profissional. Passamos a vivenciar um ambiente de prevenção com representação mais ativa do que a repressão”, detalhou.

O coronel Mesquita destacou a relevância do convite da OAB-PE para conhecer o programa. “O policial está ali para servir, como defensor e garantidor dos direitos do cidadão. Percebemos que a dinâmica do serviço policial na ótica da polícia comunitária está perfeitamente alinhada com o que entendemos que seja o propósito da OAB. Vislumbramos essa interação e temos a satisfação de caminharmos juntos”, completou.